domingo, 29 de novembro de 2015

Mais azulejos





Fui almoçar nas Portas do Mar e depois desenhei estes azulejos conforme a minha Professora de Desenho tinha pedido. 

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Encontro 12

 Igreja da Matriz
 Ourivesaria
 Apontamentos diversos de vãos
Cheguei tarde e comecei a fazer desenhos muito rápidos e com pouco pormenor. Gostei muito desta tarde.

Encontro12 | Vãos (Janelas, Portas e Varandas) | #03

concluí o encontro com este registo, que me correu melhor ou que, pelo menos, não foi tão «sofrido». Uma pomba fez-me o favor de, para mim,  pousar... 

Reunimo-nos onde tinhamos, previamente, combinado e partilhámos os desenhos uns com os outros. Depois tirámos a fotografia de grupo.
Não consigo deixar de manifestar o meu agrado pela fotografia que o Francisco Queiroz nos tirou, cuja coloração se faz - numa relação de complementaridade - entre tons de azul e amarelo alaranjado, propondo uma ambiência em harmonia e em sintonia com o nosso simpático encontro.

(Caneta caligráfica EF, grafite, aguarela)                                                                                                                            |«in situ» |


terça-feira, 24 de novembro de 2015

USK Açores | Encontro #12 - Vãos da cidade

 Banco de Portugal - Estes vãos chamaram-me a atenção pelos seus detalhes | Grafite, caneta POSCA

Corretora - Achei estes vãos interessantes pela sua combinação de formas, mas o resto da fachada e o interior também me despertaram o interesse | Grafite e caneta POSCA

Crédito Agrícola - Quis desenhar os vãos porque se parecem com olhos, mas comecei por desenhar o edifício inteiro e a árvore para retratar o espaço.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

12º Encontro USK


Comecei a desenhar antes do encontro começar no restaurante O Barcarola 


Depois de ouvir as explicações do Professor Francisco Queiroz fiz este desenho. 



Este portão chamou-me a atenção devido a sua simetria e ás suas cores.


Achei interessante o padrão nas janelas desta porta. 


Quis desenhar o pormenor do vidro partido. 

Encontro12 | Vãos (Janelas, Portas e Varandas) | USK Açores_ #02



                                   ( Desenho da esquerda: Alexandra Baptista )                                              (Desenho da direita: António Cabral)

Ali sentados na escadaria da igreja Matriz, eu e o António, tentámos compreender a estrutura do janelão do Millenium à nossa frente. Julgo que ele - descontraidamente - o entendeu muito mais depressa (e melhor) do que eu, ao ponto de me levar a desenhá-lo nesse processo. Abri o meu catálogo Fnac Kids e fui tapando aquilo que - na página - me pareceu excessivo por contrariar a hierarquia dos elementos percecionados.

(Caneta caligráfica EF, marcadores Posca e windsor & Newton)                                                                                                | «in situ» |

domingo, 22 de novembro de 2015

Encontro12 | Vãos (Janelas, Portas e Varandas) | 21 de Novembro 2015_ #01

















O nosso 12º encontro iniciou-se com o Doutor Francisco Queiroz que,  muito pacientemente, nos explicou diferença de nomenclatura e algumas características associadas às grades de sacada, grandes peitoris com e sem sacadas e grades com ferro forjado ou fundido, etc.
Gostei muito de encontrar caras novas e claro, os entusiastas - do costume - foram aparecendo prontos para começar este desafio de desenhar os vãos da baixa da cidade de Ponta Delgada.
O meu primeiro desenho foi difícil, iniciei-o com pessoas e já não sei porque motivo não as continuei, sobrepus-lhes o registo de dois vãos do Millenium no Largo da Matriz. Senti-me desconcentrada, «enferrujada» e com dificuldade em estruturar os elementos. Por desafio, pessoal, evito o uso da borracha e tento fazer uma «escrita à primeira» do que seleciono com o olhar... desta vez a confrontação com a rigidez da geometria exigiu-me uma atitude mais técnica e menos teimosa da minha parte. Custou-me imenso fazer esta página, mas por outro lado, ainda bem que não desisti.



(Caneta caligráfica EF, grafite, aguarela)                                                                                                                                 |«in situ» |

12º Encontro Usk Açores

Alguns dos muitos vãos do Largo da Matriz.


(materiais: Uni Posca White, Uni-Ball Vision Needle 0.5, grafite e lápis de cor)

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

12º Encontro de Diários Gráficos USk Açores - S. Miguel


No próximo dia 21 de novembro, sábado, decorrerá o 12º Encontro de Diários Gráficos em S. Miguel. Neste Encontro o desafio será descobrir (e desenhar) os vãos dos edifícios da cidade de Ponta Delgada (varandas, janelas e portas).
O ponto de partida será às 14:30H em frente da Igreja da Matriz, em Ponta Delgada.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Visita de estudo à Sinaga

Visita de estudo ao Núcleo Museológico da fábrica da Sinaga. O museu situa-se no principal edifício da fábrica de produção de açúcar. Em 1804, a fábrica era uma destilaria de álcool e exportava para países como a Rússia. Posteriormente foi transformada numa fábrica de produção de açúcar a partir da beterraba sacarina. Contudo, a produção de beterraba é insuficiente fazendo com que a Sinaga importe açúcar bruto para a sua produção.

O desenho do lado esquerdo foi realizado enquanto esperávamos pela senhora que nos iria explicar a história da Sinaga. Do lado direito encontra-se uma máquina de produção de 60 pacotes de 12 gramas por minuto, pacotes de açúcar e uma saca de 20 kg.
Máquina utilizada para o fabrico de cubos de açúcar adquiridas no final dos anos 40.

Diversos instrumentos do nucleo museológico da Sinaga.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

domingo, 8 de novembro de 2015

Sinaga | Ponta Delgada

Depois do (a) Riscar o património voltámos à Sinaga (a fábrica de Açucar de Beterraba). Como não tinhamos ficado satisfeitos com o facto de não termos podido entrar na fábrica nem no núcleo museológico. Tentámos a visita que foi, novamente, acompanhada pela D. Cláuda Pereira (uma simpatia) que nos falou mais sobre a importância histórica da Sinaga, sobre as produções de álcool e açucar e sobre extinta autosuficiência da fábrica. No passado a Sinaga foi responsável pela sua própria manutenção (máquinaria, gráfica...) e isso significava um maior número de empregados em todos os setores. Tinha escola, banda, equipa de futebol e participavam ativamente na vida da cidade. Hoje, a história é outra, sobrevive às dificuldades impostas por um mercado global cujas cotas impostas lhe exigem uma administração pública que - obviamente - se justifica pelo interesse histórico/social da empresa. 


Na visita houve uma ou outra pessoa que desenharam bem mais do que eu (que lá estive em trabalho)...

(Caneta caligráfica EF, café, grafite  e aguarela)                                                                                                              |mais aqui: «in situ» |

sábado, 7 de novembro de 2015

Largo da Matriz


Estava a ir para a aula de pintura e como ainda faltava algum tempo para começar fiz este desenho. 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015