quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Sinaga

Foi complicado encontar bons ângulos à sombra para desenhar mas foi muito interessante conhecer o conjunto de edifícios que lá está.




Regresso a São Miguel


Fiz este desenho enquanto estava a espera do avião no aeroporto de Lisboa. Não desenhei durante a viagem do Brasil para Lisboa porque viajei durante a noite e por isso estive sempre a dormir. 



terça-feira, 29 de setembro de 2015

Museu de Arte Contemporânea


Fiquei intrigada com este edifício porque quando o via ao longe parecia um ovni. Depois descobri que era o Museu de Arte Contemporânea mas quando o fui visitar estava fechado para manutenção por isso fiz só este desenho. 



segunda-feira, 28 de setembro de 2015

(a) Riscar o Património | ed.2015 . Ponta Delgada





A tarde passada a desenhar o recinto -exterior- da fábrica. E deu o que fazer.  

(a)Riscar o Património | Fábrica Sinaga


Primeiro registo da fábrica de açúcar Sinaga, depois de uma visita guiada pelo seu exterior. 

À procura de um outro espaço, achei este interessante de se desenhar.

A fábrica, desta vez do ponto de vista da entrada.

Fábrica Sinaga






Cristo Redentor


Apanhei uma van para ir ver o Cristo Redentor mas quando cheguei lá estava muito vento e muita névoa. Não consegui ver nada do Cristo nem da paisagem, o que foi uma pena. 

(a) Riscar o Património | ed.2015 . Ponta Delgada


A Sociedade de Industriais Agrícolas Açorianas, mais conhecida por SINAGA, foi o local escolhido para esta edição do (a) Riscar o Património em São Miguel, nos Açores.

A SINAGA fica localizada na cidade de Ponta Delgada e é actualmente a mais antiga produtora de açúcar, contribuindo, de forma ativa, para o crescimento sustentado da economia dos Açores. Surgiu em 1884, altura em que São Miguel atravessava a «crise da laranja», orientando a sua atividade para a batata-doce, como economia alternativa e mais tarde, foi introduzida a uma nova cultura na Região, a beterraba. Da sua raiz extrai-se o açúcar (sacarose).
A fábrica do açúcar é uma industria sazonal, que apenas trabalha de 50 a 80 dias por ano, em regime contínuo de três turnos, durante 24 horas por dia. Nesta altura encontra-se «desmantelada», a preparar-se para a próxima época.
À entrada, deparamo-nos com um elemento representativo desta indústria: uma Beterraba em grande formato.
Nesta nossa jornada (entre muitas das Europeias do Património) acedemos -apenas- às zonas de lavagem e difusão da beterraba. Não nos foi possibilitada a entrada no núcleo museológico onde poderíamos ter compreendido todo o ciclo de produção (depuração do suco, evaporação, cristalização e centrifugação, até a secagem, embalagem, empacotamento e armazenamento do produto). Ainda assim, o exterior deu-nos imenso trabalho. O local é «exigente» e desafiador.

Fomos 31 pessoas a (a) Riscar -entusiasticamente - aqui nos Açores, obrigada a todos os que apareceram e também à D. Claúdia Pereira que nos contextualizou e acompanhou mostrando o recinto com simpatia e grande disponibilidade!
Aqui deixo alguns dos meus desenhos:




Os outros desenhos estão «in situ». Não desenhei muito... senti dificuldades diversas e a dor de cabeça não ajudou, deve ter sido do sol. Foi um grande dia, mesmo bom, para acabar com setembro. E agora, espero que todos publiquem  os desenhos que produziram aqui e neste blog.

Até para o ano!

domingo, 27 de setembro de 2015

(A)Riscar o Património | Fábrica Sinaga - Ponta Delgada

Ontem, 26 de Setembro, decorreu em vários pontos do país o evento (A)Riscar o Património, que teve como objetivo, desenhar-se o Património Industrial, uma iniciativa da Direção Geral do Património Cultural em parceria com os Urban Sketchers Portugal, como forma de assinalar as Jornadas Europeias do Património.
Em S.Miguel o evento decorreu na Fábrica Sinaga. Fica abaixo o registo deste dia.